Novidades

Lição 3 - Entrando no tabernáculo: O pátio



Texto Áureo
“Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens." (Jo 10.9)

Verdade Prática

Para entrar à presença de Deus, no Lugar Santíssimo, o pecador deve passar por uma única porta: Jesus.

Leitura diária

Segunda - Êx 25.8,9: O modelo divino do Tabernáculo
Terça - Êx 29.45,46: O lugar da habitação de Deus
Quarta - Lv 26.11-13: A presença de Deus no Tabernáculo
Quinta - Zc 2.10, 11: Deus deseja estar entre o seu povo
Sexta - Jo 10.7-9: Jesus é a Porta de acesso à presença de Deus
Sábado - Ef 2.13-18: Jesus uniu os povos diante de Deus



Leitura Bíblica em Classe
Êxodo 27.9-19
9- Farás também o pátio do tabernáculo; ao lado do meio-dia, para o sul, o pátio terá cortinas de linho fino torcido; o comprimento de cada lado será de cem côvados.
10 - Também as suas vinte colunas e as suas vinte bases serão de cobre; os colchetes das colunas e as suas faixas serão de prata.
11 - Assim também do lado do norte as cortinas na longura serão de cem côvados de comprimento; e as suas vinte colunas e as suas vinte bases serão de cobre; os colchetes das colunas e as suas faixas serão de prata.
12 - E na largura do pátio do lado do ocidente haverá cortinas de cinquenta côvados; as suas colunas, dez, e as suas bases, dez.
13 - Semelhantemente, a largura do pátio do lado oriental, para o levante, será de cinquenta côvados,
14 - de maneira que haja quinze côvados de cortinas de um lado; suas colunas, três, e as suas bases, três;
15 - e quinze côvados de cortinas do outro lado; as suas colunas, três, e as suas bases, três.
16      - E à porta do pátio haverá uma coberta de vinte côvados, de pano azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino torcido, de obra de bordador; as suas colunas, quatro, e as suas bases, quatro. 17 - Todas as colunas do pátio ao redor serão cingidas de faixas de prata; os seus colchetes serão de prata, mas as suas bases, de cobre.
18 - O comprimento do pátio será de cem côvados, e a largura de cada banda, de cinquenta, e a altura, de cinco côvados, de linho fino torcido; mas as suas bases serão de cobre.
19 - No tocante a todos os utensílios do tabernáculo em todo o seu serviço, até todos os seus pregos e todos os pregos do pátio, serão de cobre.

Introdução

Na presente lição vamos tratar sobre o tema: "Entrando no tabernáculo", onde vamos conhecer o pátio. A lição vai mostrar a centralidade do tabernáculo entre as tribos e o significado deste posicionamento. Tratará também de falar sobre a cerca do pátio e da porta com seus respectivos significados. Aproveite bem o conteúdo da lição para que você possa ministrar uma excelente aula e enriquecer a vida espiritual de seus alunos.

O pátio do tabernáculo

       O pátio do tabernáculo era também conhecido como átrio. O salmista exclamou:  "Porque vale mais um dia nos teus átrios do que mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas dos ímpios". Sl 84.10.No Mesmo salmo, o salmista afirma que  a sua alma desfalecia pelos átrios de Deus. O pátio, ou átrio era a parte externa do tabernáculo, que separava as tribos de Israel do local de culto ao Senhor. Já falamos em aulas passadas que o tabernáculo era uma tenda móvel, que acompanhava o povo de Deus no deserto. A incumbência de transportar a arca, quando o povo de Israel desmanchava o acampamento era dos filhos de Levi, Gerson, Coate e Merari, dos quais sugiram as famílias, gersonitas, coatitas e meraritas. Desde, o Sinai, onde o Senhor ordenou a construção do tabernáculo, até a chegada de Israel ao acampamento de Gilgal, o tabernáculo não  um lugar fixo.  Já era um desejo de Moisés que o tabernáculo fosse fixado em um local, de forma permanente; isto ocorreu quando o povo de Israel chegou no acampamento de Gilgal. Gilgal foi a principal base militar de Israel na conquista de Canaã. Muitas coisas ocorreram com o povo de Deus estando em Gilgal, entre ela a cessação  do Maná. Tempos mais tarde, o acampamento de Israel passou a ser em Siló, território de Efraim e o tabernáculo foi transferido para lá. Em Siló, o novo centro de adoração ao Senhor, o povo de Israel ganhou uma profunda experiencia com Deus, por meio da orações de Ana, mulher de Elcana, que pedia insistentemente um filho ao Senhor. A resposta de Deus para Ana, foi na verdade uma resposta as necessidades do seu povo Israel, que estava vivendo oprimido pelos filisteus. No período do nascimento de Samuel, os ministros de Deus no tabernáculo em Siló, eram Eli e os seus filhos. Devido aos pecados dos filhos de Eli, Deus permitiu que a arca da aliança, a principal mobília do tabernáculo, fosse levada pelos Filisteus, e que seus filhos fossem mortos durante a invasão filisteia, o que ocasionou também a morte do sacerdote Eli. Nos períodos de Saul e Davi, o tabernáculo não contava com uma localização fixa, o que segundo o comentador Elienai Cabal, pode ser uma estratégia divina para defender o centro de adoração dos constantes ataques dos povos vasinhos.  Ainda nos tempos de Davi, começou-se um movimentação em direção a construção de um templo, onde o culto do Senhor passaria a funcionar de forma permanente. Quando Davi intentava construir uma casa para a morada de Deus, Deus-lhe enviou o profeta Natã e lhe disse que ele não edificaria o templo, mas que seu descendente sim edificaria a casa do Senhor I Cr. 17.1-11. Portanto o tabernáculo deu lugar ao templo de Salomão que foi construído logo no início do seu reinado. 
            Voltando, ao tabernáculo do deserto. O tabernáculo estava posicionado entre as tribos de Israel. Do lado leste, de frente para a porta principal de acesso ao tabernáculo estavam as tribos de Judá, Issacar e Zebulom, cujo exército, era de 186.400 homens. Aos fundos, lado Oeste, estavam as tribos de Efraim, Manassés e Benjamim, que somavam um exercito de 108.100 soldados. Ao norte, uma das laterais do tabernáculo, estavam as tribos de Naftali, Dã e Aser, que somavam 157.600 homens. Ao Sul, na outra lateral estavam as tribos de Ruben, Simeão e Gade. Ao todo os exércitos de Israel somavam 603.450 homens, de vinte anos para cima. A posição do tabernáculo revelava pelo menos duas coisas, a primeira era que Deus deseja a centralidade do culto a Ele e a segunda que Ele também deseja que o sua obra seja plenamente protegida. Da centralidade do culto, observamos que em muitos arrais, o centro das atenções já não é mais o Senhor e sim coisas secundárias. Da proteção dos valores sagrados, observamos que muitos dos que deveriam lutar ferrenhamente contra a corrupção dos valores marais, familiares e bíblicos, não fazem nenhum esforço para proteger os valores sagrados, neste tempo de desvalorização da família e dos valores morais. É oportunos dizer que Deus colocou a sua Igreja em torno da Palavra, da família e moralidade, exatamente para que este valores seja protegidos por nós.
            O tabernáculo ocupava ao todo, uma área de 45 metros X 22 metros e meio, com uma altura de 2 metros e 25 centímetros; uma área portanto de 1.012 metros e meio. Para se chegar a esta medida do tabernáculo, considerou-se que cada covado, relatado em Êxodo 27.11,  tinha o comprimento de  45 centímetros.  A área externa d tabernáculo, o pátio, tinha 60 colunas, sendo que cada lateral tinha 20 e que na frente ao fundo tinham 10 colunas cada. As colunas eram feitas de madeira de Acácia e revestidas de bronze. A madeira de Acácia, também chamada na madeira de Cetim, era uma madeira dura, cheia nós e extremamente difícil de ser trabalhada, O pastor Hernandes Dias Lopes, afirmou, que nenhum marceneiro, gostaria de trabalhar com este tipo de madeira. A madeira de Acácia, representa a natureza humana, que é cheia de imperfeições, ao passo que o bronze representa a justiça de Deus, portanto a natureza divina cobrindo as nossas imperfeições.  A cerca do pátio revelava a firmeza e a santidade da vida cristã. A medeira era perfurada  para que por ela passasse os varais, onde eram estendidas as cortinas. As cortinas que eram estendidas, sobre a cerca era de linho branco torcido, presas uma as outras. O linho branco dala da santidade de Deus. Deus é santo e exige santidade de seu povo. Quem estava do lado de fora do pátio, não podia ver o que ocorria lá dentro. É oportuno dizer que, quem está de fora da vida cristã, não percebe o trabalhar de Deus no meio do seu povo. 
             A porta do tabernáculo tinha 9 metros de largura por 2 metros e 25 centímetros de altura. A porta do tabernáculo era o único lugar de acesso à tenda da congregação, que era o tabernáculo propriamente dito. Esta porta tinha quatro colunas, que como as demais colunas da cerca era de madeira de Acácia e revestidas de bronze. Estas quatro colunas tipificavam o evangelho de Jesus Cristo, que de forma didática, foi relatado nos evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João. Mateus tratou da realeza de Cristo; Marcos relatou o serviço de Cristo, Lucas  relatou a humanidade de Cristo e João relatou a sua deidade.  As cores da cortina do tabernáculo também era repleta de simbolismo. O branco trás a ideia de justiça e perfeição; o azul nos lembra o céu, a purpura lembra a realeza de Cristo e o carmesim lembra o seu sofrimento e morte por nós na cruz do Calvário. Foi exatamente por isto que Jesus disse: "Eu sou a porta, quem entrar por mim salvar-se-a, entrará e sairá e achará pastagem" Jo. 10.9. 
          Estar diante do átrio, é o mesmo que se deparar com a obra redentora de Cristo, que molda as nossas vidas, cobrindo a nossa imperfeição com sua justiça e nos convocando a viver uma vida de santidade e de rendição. Que Deus nos ajude para que ao longo do nosso estudo desta lição, sejamos desafiados por Deus a viver a glória revelada no tabernáculo.



Author Image

Sobre Ev. Adair Ferreira
Adair Ferreira é casado com Alessandra Francisca. Fez seu bacharelado em Teologia no IBAD em Pindamonhangaba-SP e convalidou seu diploma pela Faculdade Boas Novas de Manaus - FBN. Lecionou na ETEJOVIS em Aimorés-MG de 2006 a 2010. Evangelista da Igreja Assembleia de Deus em Pancas e atualmente professor da Escola Bíblica Dominical. Leciona no Núcleo 057 de Teologia a Distancia do IBAD em Pancas, mas sobre tudo a sua maior posição é de Servo de Deus, a quem abnegadamente serve e ama.

Nenhum comentário

Obrigador por nos deixar uma mensagem!