Novidades

Lição 13 - Orando sem Cessar

Texto  Áureo
"Orai sem cessar." (1 Ts 5.17)

Verdade Prática
O Novo Testamento nos ensina que a oração deve ser uma prática contínua dos cristãos, desde a primeira até a segunda vinda de Cristo.

Leitura Diária
SEG. Sl 55.17: Era prática no período do Antigo Testamento orar três vezes ao dia
TER.  Ef 6.18: O Novo Testamento nos ensina a orar continuamente
QUA. Lc 5.16: Jesus vivia em constante oração, um exemplo a ser imitado
QUILc 18.1: A parábola de juiz iníquo é um exemplo para nunca desistirmos da oração
SEX. Lc 21.36: Jesus espera nos encontrar em oração na sua vinda
SÁB. Ap 5.8: A oração dos crentes é como o incenso aromático que sobe às narinas de Deus


Leitura Bíblica em Classe
Mateus 6.5-13
5- E, quando orares, não sejas como os hipócritas, pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.
6- Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai, que vê o que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará.
7- E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que, por muito falarem, serão ouvidos.
8- Não vos assemelheis, pois, a eles, porque vosso Pai sabe o que vos é necessário antes de vós Iho pedirdes.
9- Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome.
10- Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu.
11- O pão nosso de cada dia dá-nos hoje.
12- Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores.
13- E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o Reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém!

A oração é a alma do cristianismo e expressa a nossa total dependência de Deus. Ela é tão antiga quanto à humanidade, e o próprio Jesus se dedicava à oração particular e secreta. Sendo Ele Deus, vivia em oração contínua. Que exemplo! O que não diremos nós, com respeito à oração?

Com a graça de Deus, chegamos ao final de mais um trimestre. Ao longo deste trimestre estudamos sobre batalha espiritual, a guerra do povo de Deus contra as hostes do mal, com o professor Esequias soares. Deus nos deu oportunidade de entender que existe um mundo espiritual, onde há uma batalha ferrenha contra os que vivem a fé e a esperança da glória eterna. Tivemos a oportunidade conhecer as armas que estão a disposição dos cristão e como a batalha acontece no mundo espiritual. Hoje nesta última lição, vamos estudar sobre a oração, que é a arma mais eficaz do cristão contra as hostes da maldade. Que Deus nos ajude para que possamos entender a vontade Dele para as nossas vidas.

I - A Oração
1. Definição.
Oração é o ato de conversar com Deus. Oração é uma necessidade chave na vida do cristão. É simplesmente impossível, manter uma vida de comunhão com Deus à parte da oração. Alguém definiu a oração como suspiro da alma, e ainda outra pessoa a definiu como gemido da alma. O saudoso pastor Antonio Gilberto, definiu oração como uma via de mão dupla, em que numa vai a alma angustiada, cheia de dores e tristeza, e na outra vem o Senhor trazendo alívio, paz e alegria. É importante que lembremos que oração não tem regras e sim modelo. Oração não é como uma receita de bolo, em que se coloca os ingredientes na medida certa e o bolo sai perfeito. Ao longo dos tempos as pessoas tem perguntado: Como devemos orar? As repostas tem sido as mais variadas possível. Alguns dizem: "devemos só agradecer", outros dizem: "devemos buscar pelas madrugadas". Há os que dizem: "devemos orar no monte" e por ai se vai. Há também que se dizer que a posição física que oramos, em nada influencia a nossa comunhão com Deus. Podemos orar assentados, deitados, ajoelhados ou em pé. O que mostrará se a nossa oração será atendida ou não é a nossa comunhão com Deus. Jesus disse para a mulher Samaritana: "Os verdadeiros adoradores, adorarão ao Pai em espirito e em verdade"
2. Exemplos bíblicos.
A lista de exemplos bíblicos na oração é extensa. Muitos personagens bíblicos recorreram a prática da oração para obterem os favores do Senhor. O comentador fala de Abraão, Isaque, Jacó, Moisés e Ezequias. O três primeiros ergueram altares ao Senhor num ato de estreita comunhão com Ele e tiveram resultados que ultrapassaram o seu tempo. Moisés, foi o homem que falava com Deus cara a cara e o rei Ezequias por meio da oração obteve 15 anos de vida a mais. Mais o que dizer de Ana, que obteve o seu filho Samuel debaixo de oração? O que dizer do rei Josafá, que por meio da oração venceu os amonitas, os moabitas e os da montanha de Seir, sem se quer levantar uma espada? A oração continua sendo o meio mais eficaz de recebermos as bençãos divinas e para lutarmos contra o império do mal.
3. Jesus e a prática da oração.
Jesus é o nosso maior exemplo de oração na Bíblia Sagrada. Jesus orou para escolher os discípulos, orou no túmulo de Lázaro, orou no Getsêmani e orou na cruz. A oração mais conhecida de Jesus é a oração Sacerdotal de João 17, onde ele orou pelos seus discípulos e também por aqueles que ainda o haveria se aceitar como salvador.

II - A Oração no Sermão do Monte
1. Oração nas praças e nas sinagogas (v.5).
Quando Jesus trouxe a tona o exemplo dos que se compraziam em orar em pé nas praças e nas sinagogas, Ele esta se referindo aos Fariseus, que gostavam se serem vistos pelos homens. O próprio Jesus utilizou as praças e as sinagogas, para fazer seus discursos e também orar. O alerta de Jesus para os seus discípulos e para nós hoje é para evitarmos e exibicionismo. Oração, não é para encher o nosso ego, e sim para glorificar o bom nome do Senhor.
2. Oração em secreto (v.6).
Ao ensinar a oração do Pai Nosso, Jesus disse que devemos entrar para o nosso quarto e orar em secreto ao nosso Pai celestial. A ordem de Jesus para que oremos em secreto não nos proíbe de orarmos em público. Verdade é também que a oração em secreto não garante que sejamos atendidos pelo Senhor. O que garante a atenção divina ao nosso favor é a comunhão com Deus. "Porque um coração quebrantado não desprezarás ó Deus"
3. As vãs repetições (v.7).
A expressão "vãs repetições", significa repetição de palavras sem sentido. Oração portanto não é reza decorada e sim a conversa do crente com Deus. Jesus passou longos períodos em oração e repetiu palavras durante as suas orações. Mas nunca as repetiu como se fosse uma reza. 
4. Entendendo o ensino de Jesus.
Precisamos nos ater no sentido do ensinamento de Cristo, caso contrário passamos a fazer confusão com a mensagem da oração. A oração do pai nosso é um modelo que nos ensina os seguintes princípios:
a) Paternidade divina
b) A comunhão dos santos como irmãos, uma vez que invocamos a Deus como Pai,
c) A santidade do Nome de Deus,
d) A prioridade da vontade de Deus,
e) A dependência diária de Deus em nossas vidas,
f) A necessidade do perdão na vida Cristã,
g) A necessidade de buscarmos o livramento diário das tentações
h) A prioridade do Reino de Deus.

III - O Pai Nosso
1. O nosso Deus.
O nosso Deus, é o nosso Pai Celestial. Ao invocarmos o Senhor como Pai, lembramos de muitas coisas, a primeira é a proteção e cuidado. O pai é aquele que protege o seu filho, oferecendo todo o cuidado necessário para a sua subsistência. O próprio Jesus perguntou certa vez: "Qual de vós mesmo sendo mau, se o filho de vocês pedirem um pão, lhe dará uma pedra? ou se pedir um peixe lhe dará uma serpente?". Jesus conclui dizendo: Se vós mesmo sendo maus, sabem dar boas dádivas aos vossos filhos, muito mais o vosso pai celestial. Lembramos também que o pai não só oferece o sustento, como oferece a correção. 
2. As nossas necessidades.
"O pão nosso de cada dia dá-nos hoje", lembra a nossa dependência diária do sustento espiritual. O perdão também é uma necessidade diária. Jesus que se de todo coração não perdoarmos aquele que nos ofende, também nosso pai celestial não perdoará as nossas ofensas.
3. O livramento dos perigos.
Jesus nos ensina que devemos buscar livramento das tentações, que podem vir sobre nós diariamente. É verdade que Deus não tenta ninguém, mas todo cristão está sujeito a passar por tentações e é por isto que o cristão deve buscar sempre a proteção divina.


Author Image

Sobre Ev. Adair Ferreira
Adair Ferreira é casado com Alessandra Francisca. Fez seu bacharelado em Teologia no IBAD em Pindamonhangaba-SP e convalidou seu diploma pela Faculdade Boas Novas de Manaus - FBN. Lecionou na ETEJOVIS em Aimorés-MG de 2006 a 2010. Evangelista da Igreja Assembleia de Deus em Pancas e atualmente professor da Escola Bíblica Dominical. Leciona no Núcleo 057 de Teologia a Distancia do IBAD em Pancas, mas sobre tudo a sua maior posição é de Servo de Deus, a quem abnegadamente serve e ama.

Nenhum comentário

Obrigador por nos deixar uma mensagem!